terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Esperança Mario Quintana

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-seE— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Sorte


Ouvi essa semana " O dia que você decide agir é o seu dia de sorte".

Adorei... Achei engraçado, pois sempre me considerei uma pessoa de muita sorte, quando alguém em diz, nossa que bacana você conseguiu, ou deu certo, sempre respondo "tenho sorte".

Porém a frase que tanto gostei me contradiz, me faz pensar que a sorte não é algo pessoal, que simplesmente se tem, mas sim uma questão de atitude. Gosto dessa visão, a ideia de que você faz sua sorte, parece fazer bastante sentido para mim.

Vejam bem, creio que a sorte existe, e pertence a todos, mas temos que abrir espaço para que ela funcione, dar um empurrãozinho para que a coisa ande.

Sabe, podemos ter sorte e por conta disso receber uma mega proposta de emprego por conta da indicação de um amigo, no entanto precisamos ter amigos para isso, precisamos conversar com os amigos, precisamos que o amigo saiba que adoraríamos mudar de emprego e tal. Ou podemos encontra o amor da nossa vida (ou o amor do momento) em um barzinho, mas para isso precisamos sair com os amigos, ir até o barzinho, precisamos olhar para o lado.

A sorte nos surpreende, mas temos que dar oportunidade para que ela aconteça, temos que abrir a porta e deixar que o mundo se apresente. Afinal o azar ganhamos de brinde a todo instante, já a sorte temos que fazer por onde... e aí qual dos dois você escolhe abraçar? Bem boa sorte em sua escolha.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Essas mulheres


A pouco confraternizava com algumas amigas e uns poucos amigos, como ficamos boa parte do ano sem conseguirmos nos reunir, tínhamos assunto de sobra, falávamos dos novos e velhos amores do ano, das boas e más experiências, e como bons amigos tripudiávamos uns aos outros.

Um amigo que acabou o noivado a pouco, dizia "mulheres não sabem o que querem" e é claro que a ala feminina tratou de se defender. Foi então que ele nos deixou sem palavras, ao intimarmos a definirmos exatamente o que queremos de um relacionamento a dois. Foi ótimo por que falamos, falamos e falamos e por fim não respondemos a nada.

Talvez ele esteja certo, nós são sabemos exatamente o que queremos, mas eu pergunto quem sabe? No máximo temos uma ideia, sabemos o caminho, o que gostamos, mas saber exatamente o que queremos... isso não... que bom.

Relacionamentos não são pacotes fechados, com todos os dados na embalagem e prazo de validade especificado. Relacionamentos são complexos, assim como nós mulheres, não existem roteiros, e nem sabemos como será o amanha, queremos que dure para sempre, mas podemos mudar de opinião no dia seguinte, queremos casar, mas a ideia de cuidar de um lar nos apavora, queremos manter o casamento, mas aconselhamos as outras a não casar, amamos os homens que nos fazem rir mas nos apaixonamos pelos que nos fazem chorar, sapatos de saltos acabam com nossos pés mas compramos todos que gostamos.

Pois bem rapazes não fomos feitas para sermos compreendidas, e não se preocupem, normalmente não esperamos isso de vocês, para isso existem as amigas, em ultimo caso os analistas ...rsrs. O que queremos apenas é ser amadas e respeitadas e nada mais, afinal ninguém compreende o amor, por que querer compreender as mulheres...

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

deixar acontecer



Estive pensando, em quanto tempo passamos lamentando as coisas que não deram certo, ou as que deram só até certo tempo, ou as que subitamente perdermos. Nessas ocasiões ficamos um pouco "puto" com o mundo, de mal com vida, e com uma tendência enorme de se afogar em deliciosos chocolates de todos os tipos.

Pois é perder nunca é bacana, independente do que seja, um emprego um amigo, um amor, tudo o que sai das nossas vidas contra os nossos desejos incomoda bastante, doi bastante, o que é normal, a menos que se trate de alguém sem a menor auto estima, gostamos de ter aquilo que nos é importante, e que nos faz feliz.

Porém todos sabemos que nem sempre da para ganhar todas, e nem manter tudo, as vezes um vendaval passageiro parece destruir o trabalho de um ano inteiro, e nos deixar sem chão. Não temos o controle de tudo, ainda bem imagine o que seria do mundo se todos de repente começassem a ter tudo o que querem, do jeito que querem e como querem, creio que acabaríamos nos destruindo em uma fracção de segundos rsrs

Mas de alguma forma temos que continuar, de alguma forma temos que dar sequência na vida, algumas coisas são mais fáceis, e outras nos rasgam a alma, mas temos que continuar. Um amigo tão querido, a quem sempre esta presente em minha vida costuma dizer "as vezes temos que parar, respirar fundo e dizer fudeu!!!" Desculpem o palavrão mas acho a frase o máximo, ele tem razão, as vezes não depende de nós, as coisas acontecem e pronto.

Sempre digo a mim e aos amigos que temos que deixar as coisas acontecerem, é claro que não estou falando de entregar os pontos, de abandonar o jogo e tal, quando algo que não gostamos nos acontece, temos o direito de tentar reverter a situação, quando alguém se põem em nosso caminho temos o direito de lutar contra, quando estamos doente temos o direito de insistir na cura, e quando perdemos alguem (a menos que esteja morto) temos o direito de tentar traze-lo de volta.

Podemos e devemos ter e conservar o que amamos, mas temos que ter ciência do nossa humanidade, temos que tentar com fé, mas sabendo que não se vence todas, temos que deixar as coisas acontecerem, se algo vai embora e não se consegue impedir, deixe ir. Se perdeu um amor, deixe ir, siga em frente um dia ele pode voltar, ou melhor você pode conhecer tantos outros. Se arrisquem a deixar a vida lhes surpreender, coisas boas podem acontecer, simplesmente se desapegue do que já não é seu, e deixe acontecer, afinal se você já perdeu é por que não tem nada mais a perder, então faça disso uma vantagem e não um martírio.

Tente empregos novos, amigos novos, amores novos, o "pior" que pode acontecer é você gostar de todas essas coisas, é se divertir mais e se apaixonar novamente... então deixe acontecer...

sábado, 28 de novembro de 2009

Texto bacana, achei em uma pagina da net, q é bem interessante, a pagina é meio alto ajuda, meio nova era, e essas coisa toda do segredo, mas creio que tem uns textos legais, como esse aqui por exemplo.

ah a pg é http://forum.alemdosegredo.com/2009/11/28/nao_faca_julgamento_precipitado
e o autor do texto creio que é Renato... bem esses são os dados que tenho p/ dar os créditos e não ser acusada de plagio... rsrs

Não faça julgamento precipitado...


Havia numa aldeia um velho muito pobre que possuía um lindo cavalo branco.
Numa manhã ele descobriu que o cavalo não estava na cocheira.
Os amigos disseram ao velho:
- Mas que desgraça seu cavalo foi roubado!
E o velho respondeu:
- Calma, não cheguem a tanto. Simplesmente digam que o cavalo não está mais na cocheira.
- O resto é julgamento de vocês.
As pessoas riram do velho
Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou.
Ele havia fugido para a floresta. E não apenas isso; ele trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo.
Novamente as pessoas se reuniram e disseram:
- Velho você tinha razão.
Não era mesmo uma desgraça, e sim uma bênção.
E o velho disse:
- Vocês estão se precipitando de novo.
Quem pode dizer se é uma bênção ou não?
Apenas digam que o cavalo está de volta...
O velho tinha um único filho que começou a treinar os cavalos selvagens.
Apenas uma semana mais tarde, ele caio de um dos cavalos e fraturou as pernas.
As pessoas se reuniram e, mais uma vez, se puseram a julgar:
- E não é que você tinha razão, velho? Foi uma desgraça seu único filho perder o uso das duas pernas.
E o velho disse:
- Mas vocês estão obcecados por julgamentos, hein?
- Não se adiantem tanto.
Digam apenas que meu filho fraturou as pernas
- Ninguém sabe ainda se isso é uma desgraça ou uma bênção...
Aconteceu que, depois de algumas semanas, o país entrou em guerra e todos os jovens da aldeia foram obrigados a se alistar, menos o filho do velho.
E os que foram para a guerra, morreram...-
Quem é obcecado por julgar, cai sempre na armadilha de basear seu julgamento em pequenos fragmentos de informação, o que levará a conclusões precipitadas.
Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois quando uma caminho termina, o outro começa, quando uma porta de fecha, outra se abre...
As vezes enxergamos apenas a desgraça, e não vemos a bênção que ela nos traz...

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mafalda

Nossa... Um amigo me mandou essa charge, apesar da graça, tenho que confessar que essa foi dolorosa.

desejo



Hum... coisa que todo mundo deveria ter...



Desejo a você…

Fruto do mato

Cheiro de jardim

Namoro no portão

Domingo sem chuva

Segunda sem mau humor

Sábado com seu amor

Crônica de Rubem Braga

Filme antigo na TV

Ter uma pessoa especial

E que ela goste de você

Música de Tom com letra de Chico

Frango caipira em pensão do interior

Ouvir uma palavra amável

Ter uma surpresa agradável

Noite de lua Cheia

Rever uma velha amizade

Ter fé em Deus

Rir como criança

Ouvir canto de passarinho

Sarar de resfriado

Formar um par ideal

Tomar banho de cachoeira

Pegar um bronzeado legal

Aprender um nova canção

Esperar alguém na estação

Queijo com goiabada

Pôr-do-Sol na roça

Uma festa Um violão Uma seresta

Recordar um amor antigo

Ter um ombro sempre amigo

Uma tarde amena

Tocar violão para alguém

Ouvir a chuva no telhado

Vinho branco
Bolero de Ravel

E muito carinho meu.


Borboletas


"Lindo texto de Mário Quintana"



Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.


Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.


As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.


Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela.


Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.


Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.


O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!
MÁRIO QUINTANA

sábado, 3 de outubro de 2009


Fica sempre

Um pouco de perfume

Nas mãos que oferecem rosas


Passeando pela net encontrei um belo poema, mas confesso que somente o começo me chamou atenção, por isso o destaquei acima deste pequeno texto.

Achei o verso de imensa sensibilidade, penso ao lê-lo que não somos habituados a dar, que sempre esperamos receber do outro ou dos outros.

Só nos sentimos amados e queridos quando ganhamos algo daqueles que amamos ou queremos bem, pode ser uma jóia, um cacareco qualquer, um beijo inesperado, um telefonema... O fato é que esperamos que as pessoas que nos amam nos presenteiem com objetos ou ações, achamos que quando somos importantes e quando há amor, temos que receber algo que consolide e que confirme esse amor.

E nos esquecemos que amar, não é receber, pelo contrário amar é muita mais dar do que receber, é entregar o que se tem de melhor gratuitamente. Não existem trocas no amor, não podemos pedir que o outro dê na mesma medida que recebe. Afinal cada um tem seu jeito de amar, ou melhor, o jeito de dar amor!

Não nego que receber flores sem motivos, ouvir bons elogios, ou um telefonema no meio da noite, agradem a todos(as), mas isso são coisas que temos ou não temos, não podem ser exigidas. Afinal aquilo que é fruto de alguma cobrança, não é real, não é amor, no máximo se torna uma obrigação, o que temos que admitir que é um "porre" para qualquer um.

Lembro de uns versos que ouvi a um tempo, na verdade lembro da ideia, as palavras na integra me fogem a mente. Mas era algo em torno da ideia, que nada no mundo é nosso, nada que temos nos pertence, as únicas coisas que podem ser chamadas de nossas, são aquelas que entregamos aos outros, um presente que dá ao outro será sempre um presente seu, um beijo dado em alguém será sempre um beijo seu. Somente aquilo que é dado aos outros não nos pode ser tirado. Por isso, mesmo correndo o risco de ser redundante finalizo da mesma forma que a pouco inicio


Fica sempre

Um pouco de perfume

Nas mãos que oferecem rosas

domingo, 20 de setembro de 2009

O negligenciado Tempo


O tempo...

A questão do tempo, esteve em discussão na ultima semana com um grupo de amigos da facu. Comentávamos de um amigo que faltando menos de um semestre de aulas resolveu desistir do curso. Comentávamos que a escolha desse amigo era equivocada, que ele estava fazendo uma besteira afinal faltava tão pouco tempo, o principal foco dos meus amigos era o financeiro, uma vez que todos investimos um certo dinheiro no curso e tal.

Mas meu foco vai além do dinheiro, creio que não é a questão mais importante, embora mereça grande atenção também. Mas confesso que fico mais atenta a questão do tempo, afinal perdemos e ganhamos dinheiro a vida toda. Ele trabalha, tem um bom emprego tenho certeza que recupera fácil esse valor. Mas e o tempo que ele investiu no curso? Esse não tem volta, esse ele simplesmente perdeu, o tempo que ele ficou ali sentado durante as aulas, estudando em casa, fazendo trabalhos e coisas do tipo não volta, tempo esse que poderia ter sido aproveitando com outras coisas, namorando, descansando, viajando, ou em outro curso mesmo. Esse tempo é inrecuperável

Afirmo que entre os bens mais preciosos que temos encontra-se o tempo, ele é único e até impiedoso, o tempo perdido nunca é recuperado. Por conta disso confesso, que a negligência que temos com o tempo me incomoda profundamente, pensem bem quantas vezes fazemos escolhas sem pensar nas consequencias, sem pensar que essas escolhas moldam nosso tempo, moldam o ritmo de nossas vidas.

Falamos o tempo todo que não temos tempo para nada, mas nos esquecemos de dizer que somos os culpados por essa falta de tempo. Fazemos nosso tempo, determinamos nossas prioridades, e excluímos o que achamos ser menos importante, e o que podemos deixar para depois.

Fazemos escolhas entre estar na aula e passar a noite no bar em frente a facu, entre jogar futebol e estar na casa da namorada, entre ir para praia e fazer hora extra, entre um/uma garota (o) ou outra (o). Escolhemos o tempo todo, e as vezes vamos acumulando coisas sem perceber que elas ocupam nosso tempo, sem perceber que talvez não sejam elas as coisas que deveriam ser mais importantes, ou que nos fariam felizes, ou ao menos um pouco alegres.

Sei que nem sempre faço escolhas certas, e também sei que as vezes as escolhas que parecem erradas são as que nos fazem mais bem, como a caso da aula e do bar ( RSRSR). mas acho que devemos ter mais atenção com nosso tempo, fazê-lo tal qual gostaríamos, aproveita-lo, no caso do meu amigo não sei se ele fez uma boa ou má escolha, ele pode tanto ter perdido o tempo que investiu no passado, quanto pode estar ganhado mais tempo no presente e no futuro, só as prioridades da vida dele podem resolver essa questão. O fato é que iniciar algo ou parar, dizer sim ou não, estar presente ou ausente mudam nossas vidas, o tempo que separamos para cada coisa escreve nosso destino, por isso digo que devemos pensar com muito carinho em nosso tempo, e tratá-lo como um bem precioso, afinal esse tempo é o que faz nossa vida diariamente, é diferença entre dias bem vividos e dias que passam sem deixar nenhuma vaga lembrança.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Manifesto a favor do ciúmes


Ciúmes, tanto já se escreveu sobre ele, quanto já se musicou, e quantas cenas já foram presenciadas com tal vilão. Pois bem sempre vejo as pessoas condenando o ciúme, dizendo que ele envenena uma relação, que é coisa de quem não tem auto estima, ou uma clara prova que o (a) parceiro (a) não confia no seu conjugue.

Concordo com quase tudo o que dizem, o ciumes é algo totalmente irracional, mas pense bem isso não é tão estranho, no universo dos sentimentos o que é racional? Amar? Odiar? Nada!!! Somos totalmente irracionais, todos nós, claro que em proporções diferente, afinal há uma grande diferença entre rir de alguém que tropeça em um degrau e sentir prazer em empurrar alguém de uma escada. O que torna os sentimentos aceitáveis são as medidas em que eles são expostos, nada mostra frieza, alguém que não ama absolutamente nada é considerado sombrio e alguém que literalmente é capaz de matar ou morrer por amor é claramente maluco ou perigoso. Porém ninguém condena o amor, desde que ele se mantenha longe de seus extremos. A mesma coisa com os outros sentimentos, aliais menos um, o CIÚMES, o coitado do sentimento é mal visto em qualquer proporção, pouco ou muito ciúmes é visto da mesma forma, um absurdo!

Em minha opinião, o ciúmes, é um sentimento descriminado, é muito mal interpretado, por isso que venho defende-lo hoje, e dizer que assim como os outros sentimentos ele também pode ficar longe de seus dois extremos e ser encarado como um sentimento normal, que não precisa ser abafado e menos ainda marginalizado.

Vamos imaginar uma relação amorosa, um namoro. Quando resolvemos nos relacionar com alguém vemos na outra pessoa algo que nos agrada, que nos faz querer bem a tal pessoa, e mais ainda achamos que de alguma forma essa pessoa preenche algo em nossas vidas, caso contrário não abriríamos espaço para o outro. Pois bem, afirmo que o ciúmes é uma peça chave dessa relação, e mais ainda que ele serve de medidor para o nível de intimidade, paixão e dedicação de um para o outro.

A ausência de ciumes demonstra também a ausência de preocupação do outro com seu par, não se importar, e dizer que confia absolutamente no outro mostram que a outra pessoa não esta tão envolvida no relacionamento. A maior dificuldade do ser humano é lidar com a perda, no caso do ciúmes com a ideia da perda, o ciúmes é fruto de um medo natural, só tememos perder aquilo e aqueles que são significativos em nossas vidas, pense quantas vezes no último ano ouvimos falar de pessoas que morreram de forma trágica ou não, aposto que várias, porém por quais delas ficamos arrasados, quais nos deixaram triste ou chateados? Simples, somente aquelas por quem nutríamos algum tipo de sentimento. O ciúmes funciona na mesma frequência, quantas pessoas já passaram por nossas vidas e quantas tivemos que ver com um outro, quantas saíram de nossas vidas e foram viver outros relacionamentos? Várias, muitas! Porém a maioria não faz nenhuma diferença, simplesmente por que não são mais relevantes em nossas vidas, porque não fazemos mais questão que estejam em nossos mundos. Isso é a ausência de ciúmes, é não se importar com o outro, é não achá-lo interessante, é não fazer questão de sua presença, é o tanto faz ou o nada.

O namorado ou namorada não sentir ciúmes incomoda, embora ninguém queira admitir isso, todos dizem odiar o ciumes, mas é ele que revela o quanto somos importante para o outro a ponto desde não quer correr o risco (mesmo no plano das ideias) de perder a pessoa amada, mostra que você é significativo na vida do outro, é um fato desde do sapato ao marido (esposa) só temos ciúmes do que amamos muito, afinal aquele sapatinho meio feio e sem graça emprestamos a qualquer um, assim como o namoradinho meia boca tanto faz estar com ele ou não, afinal só fazemos questão de conservar para nós e exclusivamente para nós aquilo para o que damos valor.

Por isso não se entristeçam com algumas dúvidas ou desconfianças rondando a cabecinha do parceiro, e nem se chateiem tanto com um leve interrogatório, e nem um ou outro "piti" de seu par, é apenas um leve alerta de ciumes, só um medinho ou incomodo de imaginar um outro qualquer calçando aquele sapato divino que você tem certeza que foi feito único e exclusivamente para você. Só queremos conservar aquilo que é importante, o leve ciúmes do outro é só uma forma desajeitada de dizer que te ama, mesmo que as vezes isso nos faça querer esganá-lo!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Dia do Amigo

"amigo alguém que sabe tudo a seu respeito e mesmo assim gosta de ti"

sempre amei essa frase, e hoje dia 20/07 dia do amigo, resolvo fazer uma ode a amizade, esse vinculo estranho que criamos com pessoas tão parecidas e as vezes tão opostas, fato é que ter amigos faz parte da vida.

*Amigos animados, aqueles que fazem festa com tudo, parecem que contagiam o ambiente com sua alegria.

*Amigos que só nos metem em frias, que sempre nos arrastam para baladas horríveis, churrascos ruins, cervejas quentes e por ai vai.

*Amigos sábios, aqueles que sempre sabem o que dizer, que nos dão bons conselhos, embora ninguém nunca os escute.

*Amigos melancólicos, aquele tipo que sempre tem um grande problema, do tipo "parem o mundo" e me escutem.

*Amigo estraga prazer, aquele que sempre que você está muito feliz lhe diz: vai com calma, as coisas não duram para sempre, isso um diz vai acabar.

*Amigo cupido, aquele que sempre acabou de conhecer alguém que tem tudo à ver conosco, o engraçado é que na maior parte das vezes detestamos essas pessoas parecedíssimas conosco.

*Amigo consciência, aquele que sempre chateia e nos faz admitir que estamos errados.

*Amigo tipo pai, que fica regulando tudo que a gente faz, que diz não faz isso, faz aquilo e bla´, blá, blá.

*Amigo consolador, aquele que você não liga que te veja chorar.

*Amigo irmão, aquele que você briga, discute, mais não sabe viver sem.

*Amigo artista, sabe aquele que todo mundo pensa que é um santo, mas de santo não tem nada.

*Tem amigo de todo jeito, as vezes temos muitos amigos e as vezes um só, as vezes um vale por dez, e os dez as vezes parecem um só. Não importam quantos, amigo é amigo, e não se vive sem eles , ou pelo menos não se vive bem.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

O homem perfeito

Maravilhoso!!!
O Jô disse tudo... homem perfeito só assim mesmo


Homens e cachorros

Amigos há anos nós mulheres tentamos entender a relação homem e cachorro, aquela velha história q o cão é o melhor amigo do homem. Segundo um amigo meu, essa incógnita foi respondida de diversas formas... Acompanhem:




"Os cachorros não choram.

Os cachorros adoram quando você traz seus amigos pra casa.

Os cachorros não se importam se você usa o shampoo deles.

Os cachorros acham que você canta bem

Quanto mais tarde você chega, mais excitados estão os cachorros para lhe ver.

Os cachorros lhe perdoarão se você brincar com outros cachorros.

Os cachorros não vão se importar se você chamá-los pelo nome de outro cachorro.

Os cachorros não compram nada.

Os cachorros adoram quando você deixa um monte de coisas espalhadas pelo chão.

A disposição dos cachorros permanece a mesma durante todo o mês.

Os cachorros nunca param para examinar o relacionamento.

Os parentes do cachorro nunca os visitam.

Quando um cachorro envelhece e começa a lhe incomodar incessantemente, você pode chutá-lo para longe.

Os cachorros não odeiam seus corpos.

Os cachorros nunca criticam.

Os cachorros concordam que você deve gritar para impor seu ponto de vista.

É legal você manter um cachorro preso dentro de casa.

Os cachorros não querem saber sobre os outros cachorros que você já teve

Os cachorros não deixam os artigos de revistas guiarem suas vidas.

Você nunca tem de esperar pelo cachorro. Ele está sempre pronto para sair durante 24 horas.

Os cachorros acham divertido quando você está puto.

Os cachorros não podem falar.

Os cachorros são fiéis ao seu dono.

Os cachorros não falam ao telefone.

Os cachorros não reclamam que seu dono esta meio fora de forma.

Os cachorros, apesar do faro apurado, não ficam perguntando "que cheiro é esse?".

Os cachorros não reclamam quando você dirige em alta velocidade.


Porque afinal ficam com mulheres?

É socialmente aceitável manter relacões sexuais com mulheres, com cachorros não! "

segunda-feira, 29 de junho de 2009

??? Não entender o que não entendemos ???


Hoje encontrei um antigo texto, presente de um amigo da escola (faz tempo), estava perdido em uma série de papelada, dessas que vamos acumulando sem motivo nenhum.

Era um texto sobre um monge, e a história me encantou profundamente.


"Dizia que certo dia, um monge subiu a um monte junto a seus discípulos, e em meio as orações e preces, ouviu gritos e gemidos vindos de uma aldeia abaixo, ao olhar deparou-se com um verdadeiro massacre, os membros da aldeia era dizimados por invasores "bárbaros". Ao ver a cena o monge suspirou cheio de lamento:

"Ah se eu fosse Deus..."

Um dos discípulos inconformado protestou imediatamente:

"Mestre que blasfêmia!! por acaso esta dizendo que Deus não sabe o que faz ao permitir que isso aconteça, ou ainda que se fosse Deus faria algo diferente?"

O mestre olhou com calma, cheio de pesar e disse:

''Se eu fosse Deus, poderia compreender o que acontece"


Desconheço o autor, mas acho o texto de muita sensibilidade, a claro aproveito para discutir uma ou duas questões sobre o mesmo.


O saber compreender, o saber entender, o saber conhecer. Somos bombardeados dia a pós dia com montanhas de novos conhecimentos, de descobertas, de inovações cientificas, e que maravilha é isso, adoro a época em que vivemos, e sem duvidas não desejaria pertencer a outra qualquer. Porém afirmo que gastamos tempo demais querendo entender o mundo ao nosso redor, e as vezes me pergunto até onde isso é necessário, ou útil.


Contabilizamos tudo, o tempo, as relações, atribuímos valor as pessoas, procuramos ter exatidão em tudo o que fazemos, não nos permitimos errar, e não aceitamos o erro dos outros. Buscamos exaustivamente a perfeição, queremos ter a resposta correta para tudo sem margem para duvidas, queremos provar e queremos que nos provem tudo.


Pedimos que o outro nos apresente quase que em uma equação matemática o quanto nos ama, queremos que explique o por que, que prove por "a +b" tudo que diz, queremos transformar sentimentos em números. tentamos a todo custo moldar o que é abstrato.


E esquecemos que algumas coisas não podem ser entendidas, não podem ser explicadas, algumas coisas não podem ser escolhidas ou mudadas a nossa vontade. Nem tudo pode ser compreendido, não há meios para compreender o por que alguém te ama ou não, ou saber o quanto te ama, ou o por que não te acha interessante, ou bacana. Quantas vezes já desejamos estar apaixonados por alguém que nos quer bem, e não conseguimos. Por maldade? Não, por que não somos capazes de tudo, não sabemos por que gostamos de determinadas pessoas e de outras não. O saber pertence a razão, e a razão não atua em todos os campos.


Creio que deveríamos passar menos tempo pensando em certas coisas, e vive-las enquanto as temos... já dizia um antigo ditado "o que não tem solução, solucionado está". O mundo não nos pertence, apenas fazemos parte momentaneamente dele, nem mesmo sabemos se por muito ou pouco tempo. Perguntar por que estamos vivos, não é o mesmo que viver, "entre o céu e a terra... já existem coisas demais" precisamos mesmo arranjar mais incógnitas do que as que já existem? Acho que seriamos mais felizes, se não ficássemos tentando descobrir o porquê não somos, acertaríamos mais se não ficássemos justificando nossos erros. Poderíamos tanto...


quinta-feira, 11 de junho de 2009





Meninas todo sapo é príncipe, o segredo é simples, feche bem os olhos respire fundo e de um beijo apaixonado, e ai vai o segredo, precisa manter os olhos sempre fechados, e quando abrir olhe pro lado...rsrsr...

Dia dos namorados


Martha Medeiros, adoro seus escritos, são de uma sensibilidade única, por isso que hoje, véspera do dia mais love do ano, escolho dois trechos dessa fantástica escritora para postar no blog em homenagem a todos os apaixonados e dispostos e se apaixonar todos os dias.




"Apesar de todos os livros escritos,


todas as sentenças filosóficas


todas as análises terapêuticas


todos os exemplos de paixões falidas


continuamos amando




Apesar de não termos mais 15 anos e


estarmos numa idade em que os outros


acreditam que nosso coração envelheceu


continuamos amando"






Pois é , por mais maluco que seja sempre amando...

sábado, 6 de junho de 2009

os dispostos se atraem

"Os opostos se distraem, os dispostos se atraem" (Teatro Mágico)
Já repararam o quanto somos injustos com a vida as vezes, ou como nos recusamos a aceitar as coisas que ela nos dá de mão beijada, o quanto desconfiamos da sorte, e o pior o quanto acreditamos na lei de Murphy ( aquela que diz: se um coisa pode dar errado, com certeza dará)
Difícil ser feliz assim, e nem falo sobre lei da atração, sobre fé, ou mística, mas sobre simples percepção da vida. Escuto pessoas dizendo o tempo todo o quanto gostariam de fazer isso ou aquilo, e simplesmente não o fazem, inventam mil desculpas, para justificar sua incapacidade de se auto realizar e culpabilizam a vida, por suas próprias escolhas.
O trabalho é o melhor exemplo disso, quem nunca ouviu (ou falou) que está infeliz no trabalho, que não ganha bem, que detesta o que faz, que não reconhecem sua dedicação e tal. Isso é bem comum, mas vamos pensar bem, quantas pessoas nessa situação já se deram o trabalho de tentar mudar alguma coisa, quantas procuraram de verdade um outro emprego, quantas investiram tempo e estudo em outra profissão... poucas, e as que o fizeram já estão em outra ou a caminho.
Quantas vezes encontramos amigos em relações destrutivas, em namoros e casamentos que os fazem infelizes, e no entanto preferem viver das migalhas de um mal amor, ao invés de romper laços antigos, desgastado, que só fazem mal, a todas as parte envolvidas. Sei que as vezes as coisas acontecem além de nossas escolhas, ninguém opta por um parceiro que lhe agrida, lhe ofenda, lhe bata, o faça sofrer; mas escolhemos ficar ou não nessa relação, escolhemos dar um basta ou tolerar. Não podemos culpar a vida, o destino ou Deus por nossa falta de coragem em decidir o que fazer ou não.
O mundo esta repleto de pessoas bacanas, e boas oportunidades, é impossível que nenhuma lhe caía bem. Não podemos melhorar de vida, sem aprender antes a renunciar, a abandonar e esquecer o que nos faz mal. Sei que a mudança gera medo, e insegurança, afinal nos aventuramos rumo ao desconhecido, é natural do humano temer aquilo que desconhece, mas também é natural do ser humano a superação as dificuldades e transtornos. Costumo dizer aos meus amigos que em algumas situações não conseguimos mais manter o equilíbrio e que passamos a cambalear pela vida, andamos de forma desajeitada, estranha, se contorcendo para não cair, o irônico é que nessa situação a queda é a única solução para consertar nossa postura, afinal só podemos levantar depois de cair, é duro mas as vezes precisamos dar uma passada pelo inferno para conseguirmos reconhecer o paraíso.
Só podemos ser aquilo que nos dispomos a ser e nada mais...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Curiosidades sobre o beijo


Recebi este e-mail de uma querida amiga, e resolvi dividi-lo com todos... ah... vejam como beijar faz bem ! rsrsrs ...


* Beijar ajuda a relaxar e a reduzir os efeitos do estresse.

* Durante o ato do beijo você coloca 29 músculos faciais em movimento. Em outras palavras o beijo pode ser usado como exercício eficiente para prevenir o aparecimento de rugas.

* Um beijo romântico rápido queima entre uma e três calorias. Um beijo de boca aberta com contato de língua de curta duração pode queimar cinco calorias. Um beijo de um minuto pode gastar até 26 calorias. Isso é o dobro do gasto de uma corrida intensa, na subida.

* Quem beija troca saliva contendo diversas substâncias como gordura, sais minerais, proteínas, etc. A troca destas substâncias pode incentivar a produção de anticorpos pela sua relação com antígenos associados a diferentes doenças.

* Beijar ajuda a prevenir contra cáries, pois aumenta a produção de saliva que colabora na limpeza da boca.

* Estima-se que os homens que beijam suas esposas ao se despedir, antes de sair de casa, vivem cinco anos mais e ganham salários maiores do que aqueles que apenas batem a porta. Os homens da última categoria também tendem a sofrer mais acidentes de trânsito.

* O beijos libera um hormônio chamado serotonina, que eleva o humor e produz uma sensação de bem-estar e felicidade.

* Os hindus afirmam que o beijo e relação sexual são fontes de energia vital para os seres humanos.

* Uma pessoa comum passa 20.160 minutos (14 dias) da sua vida beijando.

* O beijo mais longo durou 31 horas e foi realizado para um programa de televisão chamado “Ricki Lake” em 2002, na cidade de New Jersey.

* Estudos indicam que 66% das pessoas mantêm os olhos fechados enquanto beija. O restante sente prazer em observar a miríade de emoções no rosto do parceiro (a).

* Uma mulher beija uma média de 80 homens antes de casar, de acordo com estatísticas estado-unidenses.

* O prazer do beijo pode estar ligado ao fato do tato labial ser duzentas vezes mais sensível do que o tato nos dedos.

* O beijo de língua é chamado de “união de almas” na França. Comumente os franceses são atribuidos pela invenção deste tipo de beijo.

* Os corpos das pessoas, enquanto ocorre o beijo, produzem substâncias 200 vezes mais poderosas do que a morfina em termos de efeito narcótico. É por isso que um casal pode sentir euforia ou êxtase durante um beijo.



hum... quanta coisa boa ... bem beijos a todos rsrsr

O difícil jogo de AMAR


O que é amar??? Sem dúvidas essa é uma pergunta de caráter dual, ora pode ser simples e ora muito difícil. Cada um de nós carrega consigo uma ideia única e própria do que é amar, uma definição que nos parece perfeita, porém não conseguimos expressá-la de forma convincente aos demais, simplesmente por que nossos conceitos não são transferíveis.


Ao longo da vida vamos aprendendo a definir nossas próprias opiniões, nossos gostos, desejos, ideias e sentimentos, é um processo natural a todos, porém manifesta-se diferente em cada pessoa. O que somos, e o que pensamos é definido pelo andamento de nossas vidas, ou seja pelo acumulo de experiências, e acontecimentos que vivemos e enfrentamos. Essa carga de experiências (boas ou ruins) definem ou moldam nossa personalidade, e claro nossos valores, nossos conceitos e o modo com interpretamos e nos damos com nossos sentimentos.


Daí a dificuldade de expressar aos outros o que sentimos, afinal o universo dos sentidos e sentimentos é totalmente abstrato, e a cada pessoa esse "quadro" adquire uma característica singular, clara somente aquele que o conhece. Creio que esse é o principal motivo para as falhas de comunicação entre os casais, os namorados ou "enrolados", pois não conseguimos nos fazer compreender e nem compreender o outro.


Afinal temos o péssimo habito de medir os demais, por aquilo que somos e achamos correto, sem nos dar conta que essas podem não ser as medidas de referencias do outro. No amor esperamos que nossos parceiros (as) se comportem de forma X, tendo atitudes que teríamos em situações diversas, e claro acabamos nos decepcionando, brigando, chorando e todo o blá, blá, blá de todos os relacionamentos. Tudo isso simplesmente porque ignoramos que o outro não pode ser nossa imagem e semelhança. Cada individuo é único e tem um jeito só seu, podemos encontrar alguém parecido, mas jamais igual.


Dessa forma temos que por em mente que não vamos encontrar, a pessoa perfeita, que combine conosco de forma integral, porque essa pessoa só existe dentro de cada um, criamos uma imagem, um estereotipo de parceiro(a) ideal, e quando o outro não corresponde aquilo que imaginamos, nós o culpamos e brigamos, dizemos que nos enganamos com a pessoa, que quebramos a cara, ou que ela fingiu ser aquilo que não era. As vezes julgamos e as vezes somos julgados, o fato é que essa situação sempre é injusta e desagradável. Mas não sem solução.


Imaginem um quebra cabeça, as peça são diferentes, cada uma tem um formato e um lugar próprio, porém sempre se encaixam, assim somos nós, somos diferentes, peças únicas, só temos que aprender que a peça que vem ao nosso lado, que nos completa não pode ser igual, caso contrário jamais se encaixaria. Claro o amor é um quebra cabeça grande demais, com tantas peças, que as vezes parece impossível junta-las, mas acreditem dentro do amor cada peça encontra seu lugar. Acreditem e dêm chance ao amor, afinal qual outra coisa a vida nos oferece sem pedir nada em contra? O amor nos dá vida, e as outras coisas nos matem vivos, há uma grande diferença entre apenas sobreviver e estar integralmente vivo... por isso amem, e se deixem amar.



segunda-feira, 11 de maio de 2009

O implacável universo dos rótulos.

Já reparam que temos o péssimo habito de classificar as pessoas, como se fossem embalagens de supermercado, com conteúdo pré determinado pela capa. Sabemos que a estética diz muito sobre a personalidade das pessoas, mas é impossível que diga tudo.

A pouco tempo comecei a conversar com um rapaz, um novo amigo, o engraçado é que sempre o via pelas ruas, no trabalhos e nos barzinhos da vida, porém nunca havíamos conversado. Esse rapaz tem um visual super punk, uma coisa meio agressiva, e era essa a idéia que tinha a seu respeito, idéia essa extremamente equivocada, o rapaz é uma figura super dócil, gentil, uma companhia agradabilíssima.

Vejam só, eu mesma, acabei me pegando em uma das situações que mais critico, a de julgar, de criar um rótulo para alguém, um pré-julgamento. Só que o mais incrível é que fiz isso despropositalmente, tomada pelo senso comum, que nas palavras de um jornalista da tv diz, "o pensamento de quem tem preguiça de pensar". Essa situação me fez refletir em quantas vezes, injustamente rotulamos implacavelmente as pessoas ao nosso redor, e sem perceber acabamos nos privado de coisas boas, de pessoas bacanas, de situações que podem acrescentar muito em nossas vidas.
Os rótulos são um perigo, quase uma ameaça ao bom convívio social, e mais ainda as nossas vidas pessoais, tenho um outro amigo, um belo rapaz por sinal, que usando de sua beleza e seu charme pessoal conquistou várias meninas, várias namoradas e muitos casos. É claro que esse rapaz não escapou do implacável tribunal dos rótulos, e fora taxado como um "galinha", um "cafajeste" de primeira linha, e duramente muito tempo, muito mesmo, levou consigo esse rótulo, me lembro de garotas que desistiram dele por causa de sua fama, uma me disse que não acreditava em nenhuma palavra dita pelos seus encantadores lábios.
O meu amigo estava rotulado, as pessoas nem mesmo o conheciam, e já o julgavam, o rapaz de galinha passou a insensível, canalha. Porém a cerca de uns 5 meses, ele conheceu uma menina, e acreditem esta apaixonado, confessou que pretende ficar noivo, e que esta de boa com ela e isso lhe basta. Ora que mudança foi essa? NENHUMA! ele é a mesma pessoa, o mesmo rapaz, e leva sua vida normalmente, não era um "galinha" incondicional apenas não havia encontrado alguém com quem quisesse partilhar sua vida. Mas o que mais me impressiona na garota é sua atitude, que contrariando todos os comentários, avisos e conselhos, investiu no relacionamento e está muito bem. Acho que ela esta corretíssima, as pessoas não são previsíveis, o fato de alguém ter tido atitude X em um momento não quer dizer que ela sempre repetirará o mesmo comportamento, afinal um certinho pode se desvirtuar em um momento, um cara grosso pode ser gentil com uma pessoa, um machão pode gostar de poesia, alguém sensível e bonzinho pode magoar os outros.
Ora, vemos com essa história, que os rótulos não nos ajudam em nada, que classificar alguém como certinho, nerds, louco, galinha, cafajeste, burro, bonzinho, ou coisas do tipo nada mais é que criar imagens unilaterais de uma situação, ou de uma pessoa, quase uma crueldade, uma atitude indelicada que condena um ser humano multilateral a ser visto de um único e inegociável ângulo. As pessoas não são produtos à venda, as informações, a origem, o modo de "manusear", ou de conversar não estão especificados no rótulo exterior. Diferente dos previsíveis produtos, o interior humano sempre guarda alguma inesperada surpresa. Por isso ultrapassem os murros do rótulos e aproveitem aquilo que eles tão bem ocultam.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Histórias dentro da história... nossas histórias.


Nos últimos dias vivi uma situação um tanto confusa, um tanto deselegante, mas no fundo irônica. Costumo dizer a meus amigos e amigas, que de tudo temos que tirar algo bom, como nas histórias infantis, que sempre apresentam alguma moral no final, uma lição ou conselho para situações diversas.



Ora se isso ocorre em histórias para entreter crianças, imaginem em nossas vidas dinâmicas, casa, amigos, trabalho, amor ou amores, temos diversas História acontecendo a cada momento, com base nisso afirmo que, os variados acontecimentos ou situações que nos ocorrem devem prover algo em nossas vidas, ou seja devem apresentar alguma moral, ou alguma lição, ainda que a lição aprendida seja a de não repetir algo nunca mais.



Ao decorrer de nossos dias convivemos e conversamos com tantas pessoas diferentes, participamos de tantas história e tão pouco aprendemos com isso, as vezes ao interagir com outras pessoas assumimos diversos papeis, somos protagonistas, ou coadjuvantes e as vezes apenas simples figurantes, os papeis se invertem com frequência, mas o fato é que a vida/mundo ao nosso redor é um imenso palco teatral, onde participamos quase sempre sem perceber, de enormes espetáculos, criamos nossas histórias e vivenciamos as dos outros, as vezes as história se cruzam e descruzam, como um enredo complexo e confuso.



Ficamos tão ligados em filmes, novelas, programas, seriados, que não percebemos o quanto o mundo ao nosso redor ferver, o quanto tecemos histórias intrigantes, apaixonantes, horrendas, afinal quem nunca teve uma vilã de novela em sua vida, um amor desnorteador, e uma decepção devastadora? Todos já fomos personagens principais, apenas não abrimos os olhos, para o mundo ao nosso redor, apenas não usamos de nossa sensibilidade para perceber que a história se faz a todo momento, e principalmente que dentro dessa história se fazem as mais interessantes histórias



Acho que todos deveríamos atentarmo-nos aos desfechos dos personagens que cruzam nossas vidas, que nos deixam coisa tão belas, tão ricas, ou mesmo nos magoam ou nos enganam, devemos estar atentos, devemos aprender, tal qual nas história infantis, com a diferença que sabemos que as vezes as bruxas podem não ser tão más assim, que a ordem das coisas se invertem, que o príncipe depois do beijo pode virar um sapo e ficar melhor assim, e ainda, que as princesas no fundo são meio chatinhas. Crescemos um pouco e as histórias infantis já não nós satisfazem, já não coincidem com nosso mundo, o que nos resta é escrever e deixar que se escrevam nossas próprias e novas histórias, nossos novos papeis, e assim apreciar os capítulos vividos, rir de algumas cenas engraçadas, inundar algumas páginas de lágrimas, colorir as mais apaixonantes e claro esperar atento pelas páginas em branco que sempre se multiplicam a nossa frente.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Dia das mães

Faltam poucos dias para o domingo de dia das mães, porém as ruas, a cidade, e até a tranquilidade de nossos lares são invadidas por imagens apelativas, por comercias com musicas melosas, Outdoors com imagens maternais, lojas decoradas com flores e corações. Em todos os lugares podemos ler nas entrelinhas apelos que nos dizem "agradeçam a sua mãe".


E por isso, contagiada pelo espírito do dia das mães faço esta postagem, em homenagem a minha mãe. Acreditem acho engraçado e até difícil escrever algo, afinal são as mães as pessoas que geralmente mais nos conhecem, são elas que mais nos apóiam, são elas que sempre estão prontas para acolhermos mesmo quando errados, e por pura ironia cotidiana, são com elas que mais brigamos, que mais nos desentendemos, que mais criticamos.


Reparei que ao longo dos anos (poucos anos), minha relação com minha mãe mudou, me lembro na adolescência quando ouvia seus conselhos (quase sempre sem querer) e os achava bobos, antiquados as vezes inúteis. E hoje ouço praticamente as mesmas coisas e percebo o quanto são sábios os conselhos dessa mulher. Percebo que ela nunca foi boba ou antiquada, que na verdade eu é que não estava preparada para compreende-la, para ouvi-la, não era ela que estava tomada pela velhice e sim que eu que estava mergulhada nas suaves águas de nossas infantilidades.


Fico feliz em ver o quanto nossas vidas têm sintonia, hoje sei que além do respeito que sempre lhe tive como mãe, a respeito também como mulher, como uma grande mulher, uma grande amiga. Embora não queira ser como ela, e nem levar sua vida, afinal somos pessoas diferentes com sonhos e anseios próprios, e é isso que molda minha personalidade, que me faz quem eu sou, e gosto disso, gosto da pessoa que me tornei.


Mesmo assim, mesmo sabendo que não posso e não tenho como ser igual a minha mãe, quero levar um pouco dela em mim, um pedacinho pequeno, talvez imperceptível, para que assim estejamos sempre unidas ou ligadas de alguma forma.


Embora pareça o mais lógico, vou contrariar os padrões, e simplesmente não vou terminar esse texto com um"feliz dia das mães". Pois de uns tempos acho q palavra mãe merece algumas reflexões (que não irei fazer, deixo a cargo de leitor) Creio que o "mãe" limita, como se em determinado momento uma pessoa deixasse de ser quem sempre foi, e recebesse um novo nome, ou melhor um novo título. Pensem nunca apresentamos nossas mães pelo nome, ou mesmo nos referimos a mãe de um amigo pelo seu nome. Embora eu ache que a palavra "mãe" é bela, e que resume tantas coisas, a acho genérica demais, acho que as vezes o uso comum do "mãe" nos faz esquecer que antes de mães temos mulheres... e é como mulheres que elas (todas) merecem ser parabenizadas.



sexta-feira, 24 de abril de 2009

saber amar...saber deixar alguém te amar.



Escolhi como título desse texto um trecho de uma bela música dos Paralamas do Sucesso, em primeiro lugar porque adoro a música, e em segundo por que "saber deixar alguém te amar" é uma tarefa complicada demais, trabalhosa demais, e claro importante demais.


Skakespeare disse uma vez "Só porque alguém, não te ama como você quer, não quer dizer que ela não te ame com todo seu ser". Bem Skakespeare era dotado de imensa sensibilidade, creio que entendia do amor, ou ao menos escrevia sobre o amor como poucos. E nós pobres mortais ficamos a refletir sobre as belas coisas que lemos dessas belas almas poéticas.


Pois bem, tanto os Paralamas quanto Skakespeare, falam de coisas belas demais e difíceis demais de se aceitar e de se vivenciar. As vezes eu simplesmente não consigo suportar certas coisas, ou mesmo aguentar, acho um pouco de graça quando me lembro de situações onde quase explodi de raiva.


As vezes amamos tanto, (e ainda bem que amamos tanto) que acabamos idealizando a pessoa amada, criamos expectativas sobre elas e ficamos super chateados quando essa pessoa não corresponde aos nossos anseios. E pior na maior parte das vezes a outra pessoa não faz idéia do que se passa em nossas criativas cabecinhas


Podemos resumir isso em uma matemática simples: Idealização + expectativa = a frustração. É inevitável, se não esperássemos tanto do outro também não iriamos decepcionarmos tanto. Por mais que isso seja custoso, afinal é tão gostoso imaginar, sonhar, fantasiar algo sobre nosso amor, afinal tudo isso faz parte da mágica de se estar apaixonado.


Saber amar, ou compreender a maneira do outro amar... Difícil, mas nada impossível, creio que temos q libertar o outro de nossa limitada visão e enxergá-lo como realmente ele o é, amar no outro o humano, o imperfeito e o incompleto, amar o real. Afinal meus amigos e amigas, amar na perfeição é fácil demais, amar na perfeição não é nada, mas amar na imperfeição... isso sim é tudo.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Manual para bom relacionamento com os homens


Ola amigas e amigos, passeando pela net encontrei um manual muito, mas muito engraçado sobre os homens, embora seja em formato de piadinha e gozação, acho que tem algumas dicas que podem ser uteis, o texto é escrito como se fosse um desabafo masculino ... leiam, divirtam-se e se conseguirem aproveitem rsrsrs


"Estas são as nossas regras: * Observe… Elas são marcadas como número “1” PROPOSITALMENTE


1. * Peitos e bundas existem para serem olhados, e é por isso que olhamos. Não tentem mudar isso.

1. * Aprendam a manejar o assento da privada. Vocês já são bastante crescidinhas pra isso.Vocês são grandes garotas. Se ele está levantado, abaixem-no. Nós precisamos dele levantado, vocês precisam dele abaixado. Vocês não nos ouvem reclamar quando vocês deixam o assento abaixado.

1. * Sábado = futebol. É como a lua cheia ou a mudança das marés. Não se muda isto.

1. * Fazer compras NÃO é um esporte. E não adianta, nós nunca vamos pensar do outro jeito.

1. * Choro é chantagem.

1. * Peçam o que vocês querem. Vamos deixar isso bem claro:

* Dicas sutis não funcionam!

* Dicas grosseiras não funcionam!

* Dicas óbvias não funcionam!

* APENAS PEÇAM O QUE QUEREM!

1. * ‘Sim’ e ‘Não’ são respostas perfeitamente aceitáveis para a maioria das perguntas.

1. * Tragam-nos um problema se querem ajuda para solucioná-lo. É o que nós fazemos. Para solidariedade existem as amigas.

1. * Dor de cabeça que já dura mais de 17 meses é um problema. Consultem seu médico !

1. * Tudo aquilo que nós dissemos há 6 meses não será admitido como argumento. Aliás, todos nossos comentários se tornam nulos e sem efeito após 7 dias.

1. * Se vocês acham que estão gordas, provavelmente estão mesmo. Não perguntem isso pra nós.

1. * Se algo que dissemos pode ser interpretado de duas formas, e uma delas deixa vocês tristes ou magoadas, entendam: nós falamos com o significado da outra forma.

1. * Vocês podem escolher: ou nos peçam algo, ou nos digam como deve ser feito.

* Nunca as duas coisas.

* Se vocês já sabem qual é o melhor jeito de fazê-lo, simplesmente façam.

1. * Sempre que possível, por favor, digam o que precisam dizer durante os comerciais.

1. * Pedro Álvares Cabral não precisou de orientações. Nós também não precisamos.

1.* TODOS os homens enxergam em 16 cores, como o padrão do Windows.* Pêssego, por exemplo, é uma fruta e não uma cor. Abóbora também pertence ao reino vegetal.* Nós não temos idéia do que é fúcsia.

1. * Se algo pinica, será coçado. Nós fazemos isso.

1. * Se perguntarmos o que está errado, e vocês responderem “nada”, nós vamos agir como se nada estivesse errado. Nós sabemos que é mentira, mas não vale a pena discutir por isso.

1. * Se vocês fazem uma pergunta e não querem ouvir a resposta, estejam preparadas para ouvir o que não querem.

1. * Quando temos que ir a algum lugar, qualquer coisa que estejam vestindo estará ok. De verdade !

1. * Não nos perguntem o que estamos pensando, a menos que estejam prontas para discutir assuntos como:o Sexo,o Futebol, ou Carros.

1. * Vocês tem roupas suficientes.

1. * Vocês tem sapatos demais.

1. * Eu estou em forma. Redondo é uma forma.


Obrigado por ler as nossas regras; Sim, eu sei, hoje vou ter que dormir no sofá, mas sabe, os homens realmente não se importam com isso, é como acampar. "

Só singular

Li a pouco tempo algo sobre esse termo "só singular", mas confesso que a priori não me chamou a atenção e acabei deixando de lado, porém essa semana reencontrei um querido amigo, que além de bonito, bacana e inteligente é solterissimo, e acreditem essa ultima parte incomoda a muita gente, já cansei de ouvir comentários do tipo "como alguém assim está só?", "nossa ele deve ter passado por uma desilusão imensa", "ah... sem dúvidas tem algo de errado com ele caso contrário já estaria com alguém" e coisas do tipo.
O que acho mais engraçado é o incomodo que tal situação causa nos outros, na verdade ninguém tem nada a haver com o fato do rapaz não se envolver com ninguém, ou de não ter nenhum relacionamento sério ou duradouro, porém esse fato chama a atenção das pessoas, como se revela-se uma contrariedade espantosa, e realmente gera.
Vamos lá, parece que o termo solteiro esta relacionado com algo negativo, solitário, abandonado, não amado, e não escolhido por ninguém. Creio que vivemos em uma época que estar só seja considerado errado, se pensarmos temos uma serie de códigos sociais que revelam isso, como se o mundo fosse feito para casais, e não para indivíduos. Em um restaurante, em uma fila de cinema, ou algum show, uma pessoa solitária ou desacompanhada sempre incomoda, sempre desperta olhares, como se o estar só revelasse algo de errado na pessoa, a pessoa que é uma estranha aos outros olhares tornasse ainda mais estranha.
Podemos ainda destacar um apelo social, ou mesmo uma condenação social, puxem na memória quantas vezes vivemos a seguinte situação: Encontramos um conhecido, amigo ou parente, que não vemos a algum tempo, e ele sem nenhuma delicadeza nos pergunta e aí e o namorada(a), já casou? vai casar?...rsrsr aposto que já ouviram muito isso...
Essas perguntas, revelam um estereotipo, um senso comum, que diz que só podemos estar bem acompanhados de uma outra pessoa, como se nossas vidas se resumissem em achar o par ideal, e viver um feliz para sempre. Até que seria bom, mas muito simples, somos seres complexos, ambiciosos ou sonhadores, encontrar alguém é parte de nossas vidas, não toda nossa vida.
Claro que como uma menina e as vezes como mulher defendo o amor, e acredito em sua existência sim, mas não como obrigatoriedade, mas como opção, de forma que se escolha gostar e estar com alguém por que desejamos e por que isso nos faz bem, mas jamais por que um mundo ao nosso redor nos pressiona a fazer tal escolha. Afinal somos seres livres, e como seres livres temos o direito de fazer nossas escolhas, só nos mesmos podemos decidir o que é melhor para nossas vidas.
Quanto ao termo e ao meu amigo, o "só singular" descreve a pessoa que esta bem consigo mesma, que superou os preconceitos do estar solteiro, que não se incomoda em ser taxado de solitário ou coisa do tipo, o que não quer dizer que seja um solteirão de carterinha, mas que apenas esta só e isso não lhe faz mal algum, caso um dia apareça alguém com quem ele queira estar junto, ele vai topar, mas enquanto isso não acontece, ou caso não aconteça ele vai levando sua vida na boa, tranquilamente feliz ao lado de seu próprio eu...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Nosso maior inimigo

Em nosso dia-a-dia, na selva de pedra, chamada de civilização , nós mulheres e homens meramente mortais somos obrigados a enfrentar uma série de vilões que sem dúvidas deixariam nossos heróis do quadrinhos de cabelo em pé.

Mas o que poderia ser pior em nossas vidas do que o Coringa? o Lex Lutor? o Duende Macabro? O dr Destino? ou tantos outros, bem algo muito mais perigoso e ameaçador, nosso maior inimigo se esconde dos olhos dos outros e só nós raramente podemos enxerga-lo, embora ele consiga simplesmente destruir impiedosamente nossos sonhos, nossas esperanças e até nossas vidas.

Que medo? Quase parece algum ser místico ou demoníaco desse de filme terror. Mas não!! se quer ver seu maior inimigo pegue um espelho e o posicione a sua frente. Pronto aí está... nós mesmos!!! Pois é, nosso pior adversário somos nós mesmos. Afinal somos nós os primeiros a minar nossos próprios sonhos.

Pense bem, sempre que queremos alguma coisa, que desejamos com toda nossa força, podemos conseguir o objeto ou anseio de nosso desejo, alguns chamam isso de força do pensamento positivo, outros de fé ou lei da atração, seja qual for a crença, somos capazes de realizar tudo o que queremos. Porém nem sempre isso acontece, e aí começamos a enumerar as possíveis causas de nossa decepção, ou de nosso fracasso, pensamos nos outros, os pais ou o parceiro (a) que não nos deram apoio, a falta de sorte na vida que temos, o fulano que nos passou a perna, ou mesmo que alguém lá em cima em um plano superior tem alguma coisinha de pessoal contra a gente. Ou seja existem tantas causas, justificativas, razões que acabamos jogando a toalha e concluindo que não era para ser, que não devia ter acontecido mesmo, ou que foi melhor assim.

Ora atribuímos a culpa a fatores externos, aos outros, ao destino, mas raramente a nós mesmos, raramente nos encaramos como empecilhos aos nossos desejos, afinal somos nós os primeiros a criar as dificuldades para concretização de algo, somos nós os primeiros a enxergar os problemas que podem vir a surgir, e as vezes somos nós os primeiros a achar que não merecemos conquistar determinadas coisas.. Agora me digam como conseguir algo no mundo externo se em nosso interior já desistimos?

Infelizmente temos que admitir que muitas vezes não são os outros que nos desanimam somos nós que nos deixamos desanimar, não são os outros que nos fazem incapazes, somos nós que acreditamos em nossa incapacidade, e principalmente não são os outros que nos impedem de sermos felizes somos nós que não nos achamos dignos ou merecedores disso.

Fica claro que nosso inimigo é muito forte, ele se alimenta de nossos medos, nossas neuras, nossos traumas, e ao contrário do que eu gostaria, nós não temos como nos livrar deles para sempre, afinal tudo isso também é nossa vida, por alguma motivo, por alguma situação que tivemos que encarar passaram a ser parte de nossa história, e como historiada digo uma pessoa sem passado é uma pessoa sem presente. Não podemos nos desligar de nossos pesadelos, de nossos transtornos e de nossos medos, mas podemos encara-los, podemos lutar contra eles em pé de igualdade e mesmo que de vez enquanto a gente não ganhe, podemos acumular um bom número de vitórias a nosso favor.

Bem, então da próxima vez em que ouvirmos aquela voz baixinha nos nossos ouvidos tentando minar nossos desejos, não abaixe a cabeça, a encare e pergunte bem alto : POR QUE NÃO??? Responda, escute, argumente e no fim conclua quem tem razão dessa vez, você ou nosso "eu inimigo interior".

segunda-feira, 9 de março de 2009

Quem ama o feio bonito lhe parece.... que nada!!!!

Há alguns dias atrás, no trabalho tivemos um dia vazio, com pouca coisa para fazer e muito o que falar. Muitas mulheres e alguns poucos e tímidos homens, que procuravam não ousar muito em seus comentários.
O assunto do momento era o novo romance de uma das meninas, e assim desenrolou-se a conversa, repleta de suspiros invejosos, palavras encharcadas de açúcar, e toda nossa infinita curiosidade, como boas mulheres simplesmente queríamos saber tudo. Tudo tranquilo, até que finalmente uma das meninas teve coragem de perguntar o que todas queríamos realmente saber.
--- Ele é bonito?
Incrível, mas todas paramos de falar, coisa rara em ambientes repletos de mulheres, mas o mais interessante, nossos meninos estavam tão atentos e curiosos com nós. E quando finalmente tivemos a resposta, ficamos todos desanimados, de forma que a conversa pouco durou e depois disso e o assunto tornou-se outro qualquer.
Ao contrário do que parece ela não disse que o rapaz era feio, na verdade disse exatamente o contrário.
--- Ele não é feio!
Foi o que ouvimos, o que me fez lembrar da clássica frase tão dita pela mãe de uma antiga amiga minha "Quem ama o feio bonito lhe parece". Que bobagem, por mais que eu acredite e já tenha provado o quanto a paixão nos enlouquece, todos sabemos que não ficamos literalmente cegos, apenas deixamos de enxergar o que não queremos ver.
Basta pensar em todas as vezes que ficamos só, belamente solteiros a espera ou procura de um novo amor. Puxando em nossa memória, todas as vezes que passamos por essa situação, começamos a enumerar as qualidades e características que nosso novo amor deve ter, e claro beleza sempre ocupa o topo de nossos anseios.
Porém embora pareça tão importante, no fim das contas beleza nada importa. É verdade todos e todas temos nosso ideal de beleza, o homem ou mulher de nossos sonhos, mas sonhos são sonhos, nada reais e nem um pouco tocáveis. Logo nos habitamos ao mundo real sem príncipes e princesas, mas com pessoas encantadas de verdade, com quem pensamos com carinho em dividir nossa vidas, com quem gostamos de conversar, e passar todo o tempo que conseguirmos juntos... isso deve ser amor, paixão os dois ou algo parecido, e quando isso acontece, a pessoa que não corresponde a encarnação da beleza, deixa de ser feia, assim como disse minha cara amiga ao descrever ser novo amor, afinal enxergamos tantas coisas que o superficial se torna quase invisível. Logo meus caros leitores eu lhes afirmo que beleza só é indispensável para quem não sabe o que é estar apaixonado. E claro quem ama o feio sabe que ele é feio, e deve ter sido pensando nisso que inventaram que todo bom beijo de apaixonados é dado de olhos bem fechados .

Ah...quanto ao namorado da minha amiga, não faço idéia se é bonito ou feio, mas ela esta muito apaixonada...isso é o que importa de verdade não?!!!!

Um poema de Mulher


Que mulher nunca teve
Um sutiã meio furado,
Um primo meio tarado,
Ou um amigo meio viado?
Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan para dormir?
Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?
Que mulher nunca pensou
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?
Que mulher nunca penou
Para ter a perna depilada,
Para aturar uma empregada
Ou para trabalhar menstruada?
Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?
Que mulher nunca apertou
O pé no sapato para caber,
A barriga para emagrecer
Ou um ursinho para não enlouquecer?
Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Ou que "dele" não lembra nem o nome?
Autor Desconhecido

quarta-feira, 4 de março de 2009

Mulheres Modernas

Mulheres Modernas... assim somos classificadas, uma geração de mulheres privilegiadas, que podem desfrutar dos frutos que nossas antepassadas cultivaram. Estudamos, trabalhamos, votamos, saímos sozinhas, escolhemos com quem nos casar, e até escolhemos não casar.


Porém quem é essa super mulher do início do século XXI? Eu diria q infelizmente verdadeiras mulheres maravilha, que acumulam diversas funções, que são pressionadas diariamente. Vivemos sempre com o peso do mundo, sempre sobre seu olhar de reprovação, afinal sempre há algo de errado, sempre há algo a ser corrigido.


Mundo cruel, repleto de censura, nunca atento as virtudes, mas severo com as ditas falhas. Durante o dia vejo anúncios, leio reportagens, e escuto em conversas paralelas, o quanto temos que melhorar algo. E assim somos constantemente cobradas, temos que ser educadas porém divertidas, desencanadas porém descentes, sensuais mas nunca vulgar, arrumadas mas nunca exageradas, temos que ter uma boa alimentação, um corpo em dia, uma boa profissão, bastante cultura, namorado ou marido que esteja completamente apaixonado... Uau quanta coisa, quantas funções e quantos rótulos...diante disso tudo quando encontramos espaço para sermos felizes, para sermos nós mesmas, e como sermos nós mesmas, com o mundo ao nosso redor nos bombardeando, sempre mostrando que não podemos que não merecemos desfrutar da felicidade, afinal sempre falta alguma coisa, sempre temos que melhorar em algo, e principalmente nunca podemos nos aceitar.


Me pergunto até onde meus sonhos, meus ideais, minhas conquistas e meus anseios, são realmente meus? Na verdade não sei se posso responder isso, e quem será que pode? O que sei é que não somos super mulheres, e que estamos longe da bela amazona dos desenhos animados, mas será que isso importa, será que sem nossos "defeitinhos" femininos teríamos alguma personalidade, algum charme especial, um toque individual? Talvez no mundo moderno da perfeição o que se destaque mesmo seja a imperfeição, ou acabaríamos como lindas bonecas de cera, bonitas e perfeitas mas sem nenhuma vida...

terça-feira, 3 de março de 2009

Um espaço de mulheres ...


Que maravilha é ter um espaço livre, que nos permita florescer nossas idéias, para isso crio esse Blog, um espaço via net para discutir, ou apenas apresentar alguns pensamentos.

"Reflexões de uma menina mulher" ñ é um espaço meu, ñ conta minha vida, mas faz um balanço de mulheres, de conversas, de situações, que podem sim ser minhas, mas que em sua maior parte pertence as minhas amigas. Afinal compartilhamos nossas vidas, nossas neuras e nossas alegrias.

Muito do que será publicado aqui, são reflexões sobre meu convívio com outras mulheres, as solteiras, as casadas, as apaixonadas e as desiludidas.

Ou seja um espaço para conversas, para gerar polêmica talvez, mas acima de tudo um espaço de mulher, e isso creio que somente sendo mulher é possível entender.